WESA - Associação Mundial de E-Sports

Discussão em 'Notícias' iniciada por thelsales, 18 Maio 2016.

By thelsales on 18 Maio 2016 às 21:21
  1. thelsales

    thelsales Volvo Knight

    Registado em:
    20 Agosto 2012
    Posts:
    1,215
    Curtidas Recebidas:
    620
    Pontos de Troféu:
    113
    Steam ID:
    thelsales
    [​IMG]

    - O que é
    A World Esports Association é fruto de esforços dos maiores times de e-sports do mundo e da ESL, uma enorme companhia de e-sports. Com o objetivo de profissionalizar ainda mais e criar um crescimento sustentável do mundo dos jogos eletrônicos, a WESA pretende difundir valores iguais de justiça e transparência, compartilhando a evolução com todos os times e jogadores e os apoiando continuamente. A associação promete prover aos times e jogadores estabilidade, aconselhamento jurídico e proteção em problemas econômicos, e planeja incorporar mais times e ligas, além de manter contato com desenvolvedoras de jogos, para introduzir mais jogos no plano.

    Os times fundadores são Na'Vi, Fnatic, Team Envyus, Ninjas in Pyjamas, G2 Esports, VirtusPro, Mousesports e Faze Clan.

    Sua primeira atividade será na ESL Pro League do Counter Strike: Global Offensive, cuja realização será neste fim de semana, e a associação tem em mente trazer todos os envolvidos e afetados pelo evento para a mesa de discussões.
    Incluir os jogadores e times na tomada de decisões pode evitar muitas medidas drásticas, como banimentos.


    - Como funcionará
    Embora a forma como a WESA irá agir ainda não esteja exatamente clara, seu objetivo pode realmente ser necessário, visto que muitos dos assuntos dos bastidores são resolvidos pela internet, e tais discussões são comumente transformadas em escândalos públicos, por meio de divulgação de conversas privadas no Skype ou semelhante. Não é preciso pesquisar muito para ver que isso é muito mais cotidiano do que deveria, sendo um dos exemplos mais recentes a carta de James Harding ao público após a confusão da Xangai Major, protagonizada pela Valve. Um dos maiores objetivos da associação é impedir que as discussões saiam do controle dessa forma.

    A WESA também dará aos jogadores representação direta independente do seu time, os quais também terão representantes. Propostas levadas ao comitê precisarão de 75% dos votos para serem aprovadas, e elas irão afetar apenas os membros da associação. Os membros não serão impedidos de participar de ligas não-participantes, assim como jogadores não-membros podem jogar em ligas participantes, sem limitação alguma.
    Algumas áreas de interesse são anti-doping, cumprimento de horários e resolução de disputas legais. Um tribunal será montado e poderá funcionar por chamadas de vídeo, ter um veredito em até 48 horas e de forma independente de jurisdições nacionais.
    A associação se manterá com taxas cobradas aos membros. As ligas participantes darão parte da receita arrecadada, e esta será igualmente dividida entre todas as organizações membros.


    - O que esperar
    Por mais que as propostas sejam excelentes, muitas coisas ainda estão incertas. Desconfiança sobre quem está envolvido e quanto poder terão, a motivação dos membros, fracasso de projetos semelhantes e desconfiança de centralização do poder.
    A maior parte dos membros fundadores já participou da indústria esportiva anteriormente, que não é exatamente confiável. Porém, a existência de organizações corruptas, como a FIFA, não significa que esta irá seguir pelo mesmo caminho, embora não baixar a guarda seja importante. Não há nenhuma autoridade maior que possa ser consultada para uma indústria tão nova, então tem que começar de algum ponto.
    Criar uma estrutura que consiga sobreviver a morte de um jogo é uma parte importante no sucesso da iniciativa, e muito do que a WESA pretende fazer já acontece de forma não-oficial, como a mudança de jogadores dos times que acontece no Dota a cada poucos meses. O objetivo é transformar ações do tipo em oficiais e fazê-las o mais transparente possível.
    "Algumas pessoas pensam que nós estamos apenas tentando agarrar o poder e tentando controlar o espaço. Isso não é, de forma alguma, a ambição que temos aqui." - Patrik Sättermon, que foi capitão do time de CS:GO da Fnatic por 6 anos.

    Outra enorme preocupação é sobre a ESL, companhia fundadora da WESA. Ela é a única organizadora de campeonatos presente até então e é, portanto, a única representante deste lado da indústria. Seu poder terá que ser controlado. James Lampkin, vice presidente dos produtos de jogos profissionais da ESL, realça que este é o motivo dos times e jogadores terem tanto poder na associação, e pede para que a comunidade aguarde um pouco para ver os resultados. Lampkin ainda adiciona que as negociações com outras empresas falharam mesmo após meses de tentativas, porém os motivos não foram especificados.

    A WESA pode dar certo ou pode não dar, mas ambas as alternativas serão boas para a indústria, alega Lampkin. Nenhum time ou jogador é obrigado a entrar e nenhum é mantido a força, portanto a iniciativa funcionará somente com apoio deles.

    [​IMG]
    Início da carreira de Fear - Free to Play
    Muitas coisas ainda são duvidosas, mas é certo que será necessário uma forma de organização mais cedo ou mais tarde, então não podemos rejeitar toda a proposta da WESA tão rapidamente. Se qualquer tentativa de deixar as coisas mais sólidas, seguras e lucrativas for tratada como um esquema de corrupção pela comunidade, a indústria dos jogos eletrônicos não tem muito aonde ir. Quantos se arriscariam numa carreira de jogador profissional? Quantos fracassam sem a menor chance? O cenário competitivo ainda é algo extremamente arriscado para qualquer um, e a WESA se estabelece como uma das tentativas para consertar isso.

    @Atualização - 20/05
    O FaZe Clan, como informou o membro matheusrod aqui do site, já caiu fora da iniciativa. Os motivos foram pressão por parte da WESA para ter uma parceria exclusiva, o que os impediria de usar sua atual agência de talentos. Por sair, foram multados em US$ 50000.
    Fonte: PCGamer
    pstale e Flah_Los curtem isto.

Comentários

Discussão em 'Notícias' iniciada por thelsales, 18 Maio 2016.

    1. Oráculo
      Oráculo
      Inciativa top, vamos ver se vai pra fre.. anti-dopingggggg? really?
    2. thelsales
      thelsales
      Não é muito comum em mobas, mas em CS: GO é mais comum do que um imagina .
    3. Saruman_Rockeiro
      Saruman_Rockeiro
      Rolou umas polêmicas envolvendo CS:GO, um jogador se ñ me engano, disse q era muito comum alguns jogadores tomarem medicamentos a ajudavam na concentração durante os jogos, como remédios pra ñ dormir, e alguns medicamentes indicados para pessoas com problema de amnesia !! Parece q esses remédios ajudam no foco e parece q alguns melhoravam a até a visão periférica e memoria !!
    4. matheusrod
      matheusrod
      Como alguém que joga e aocmpanha o cenário de CS:GO tenho algumas observações a fazer apenas:

      1) O Faze Clan já pulou fora.
      2) Fallen, o capitão do time brasileiro Luminosity Gaming (melhor time de CS:GO do mundo atualmente) disse que está com o pé atrás por enquanto dessa associação pq só tem uma organizadora de eventos, a ESL.
      3) O time Astralis, que é um time que pertence aos próprios jogadores, não está nesta associação.

      Temos que aguardar mais notícias e diretrizes da WESA para saber que rumo isto irá tomar.
      thelsales curte isto.
    5. justiceiro
      justiceiro
      ja ouviu falar em adderal?

      Confesso que também ja imaginei fazer algo assim e até cheguei a esboçar algumas regras, mas enquanto o fazia, percebia que algumas coisas ficariam subjetivas, como bad manners, ou extremamente complicadas, como manter um cadastro de todos os jogadores ativos no cenário. Sabia que pra fazer isso, seria necessário pessoas compromissadas e com muito tempo livre, o que é muito difícil de conseguir sem dinheiro. Então a solução é cobrar, que parece ser o que essa associação decidiu, mas dae acaba causando outro desafio pra novos talentos, que vão precisar de um capital a mais, e não falo apenas de novos times, mas também de novos campeonatos.

      Tem também a questão de limitar as pessoas que podem ter opinião na associação. Por exemplo, propostas precisam ter 75% para serem aceitas, ou seja, nova ideías seriam rejeitadas logo no início, e um sistema assim só garante que as coisas continuem as mesmas, o que pode parecer bom agora, mas pode se tornar um problema a longo prazo.

      Bem, é claro, é difícil julgar o que não existe, então por enquanto vou esperar pra ver.
      Flah_Los curte isto.

Partilhar esta Página